SEGUIDORES

OBRIGADA POR SEGUIREM ESTE BLOG

domingo, 15 de maio de 2016

DÍVIDAS






7.   Dívidas


A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei (Romanos 13:8).

Este texto da carta de Paulo aos Romanos, reafirma a promessa de Deus feita em Deuteronômio 28:12-13 que usamos no tópico sobre a Prosperidade. Quem tem com as outras pessoas unicamente uma dívida de amor e não de dinheiro, está obedecendo a Lei de Deus e quem obedece e põe em prática a Lei, será abençoado pela Graça divina.


Explosão das dívidas

As dívidas das pessoas, das empresas e do governo estão explodindo em nosso país. Nosso governo, que gasta mal, que paga juros exorbitantes sobre sua dívida, não admite perda de arrecadação de impostos e a consequente diminuição na entrada de dinheiro nos seus cofres. Mas ao invés de cortar gastos e se adequar a um orçamento menor o governo está incentivando a população a gastar mais, mesmo que seja à custa de novas dívidas. Ao longo dos anos as dívidas vão crescendo devagar e a maioria das pessoas não percebe isso, quando se dão conta, já é tarde demais.


Pobreza


A pobreza pode ser fruto de má administração, de irresponsabilidade, ou de desobediência ao Senhor. É uma afronta a Deus quando as coisas não funcionam, quando as pessoas vivem vidas medíocres, se nossa pobreza é fruto de nossa mediocridade no aprendizado de técnicas que nos façam lidar melhor com nossas finanças ou da nossa mediocridade no cumprimento das leis e dos mandamentos do Senhor, estamos afrontando a Deus.

Precisamos analisar e descobrir os motivos de nossa pobreza para então corrigir nossa atitude e seguirmos nosso caminho de forma que não afronte ao Senhor.


Relacionamentos prejudicados

As dívidas abalam também o ânimo físico, aumentam o estresse, contribuindo para uma fadiga mental, física e emocional, chegando a inibir a criatividade e a prejudicar relacionamentos. Hoje em dia muitos casamentos não duram “até que a morte os separe”, duram apenas “até que o dinheiro os separe”, casamentos que poderiam durar uma vida inteira, sucumbem por causa das dívidas.

Uma pesquisa americana aponta que mais da metade dos divórcios que ocorrem nos Estados Unidos é devido a problemas financeiros dentro do lar.


Calcular

Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar (Lucas 14:28-30).


Que situação constrangedora, começar a construir, não poder terminar e ainda ter que responder aos amigos e vizinhos que perguntam: “quando a casa vai ficar pronta? ”. Por isso antes de começar a construir devemos pedir vários orçamentos e sempre acrescentar neles uns 20%, para depois sentar e calcularmos se o dinheiro dá para começar e acabar as obras, se não der não comecemos, devemos esperar um pouco, guardar mais dinheiro e não fazer dívidas.


Gastos supérfluos

Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares (Isaías 55:2).

As dívidas das pessoas não têm nada a ver com a alimentação, ninguém faz dívidas para comprar comida. A maioria das dívidas é para satisfazer desejos pessoais, precisamos observar nossas reais necessidades e não inventar desculpas para comprar a última novidade tecnológica ou mais uma peça de roupa.


Escravidão econômica

O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta (Provérbios 22:7).

Nós os endividados somos todos escravos do sistema financeiro, todos passamos pela humilhação de dar explicações ao banco, temos que nos submeter a tudo que nos cobram, não podemos exigir nada, eles estão com a nossa vida em suas mãos.

Toda vez que lembro das várias vezes que fui ao banco pedir para que um cheque meu não fosse devolvido, acredito cada vez mais que o Velho Testamento está certo quando classifica a dívida como uma Maldição:

Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor, teu Deus, não cuidando em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos que, hoje, te ordeno, então virão todas estas maldições sobre ti e te alcançarão: ...Ele te emprestará a ti, porém tu não lhe emprestarás a ele; ele será por cabeça, e tu serás por cauda. (Dt 28:15,44).


 Fonte: http://blogdavidaeterna.blogspot.com.br/search/label/FINAN%C3%87AS



Nenhum comentário:

Postar um comentário