SEGUIDORES

OBRIGADA POR SEGUIREM ESTE BLOG

sábado, 7 de junho de 2014

Jesus: O Mestre por excelência



Olhando para o ministério de Jesus, observa-se que o “Mestre por Excelência” priorizou o ensino no seu ministério com ênfase no Reino de Deus. Alguns fatos importantes são relacionados por Price (1980, p. 15):
Jesus era reconhecido como Mestre.
Ele foi chamado Mestre, Professor ou Rabi; e tudo isto traz em seu bojo a mesma idéia geral expressa por Nicodemos quando disse: Rabi, sabemos que és mestre vindo da parte de Deus (Jo 3.2). Nos Evangelhos, Jesus é chamado mestre nada menos de quarenta e cinco vezes, e nunca se fala nele como pregador. Somando-se os termos equivalentes a mestre temos o total de sessenta e um.
Fala-se de Jesus ensinando, quarenta e cinco vezes, e onze vezes apenas pregando, e, assim mesmo, pregando e ensinando, como vemos em Mateus 4.23 “ensinando em suas sinagogas e pregando o evangelho do reino”.

Jesus se intitulava mestre.

‘Vós me chamais mestre; e dizeis bem, porque eu o sou” (João 13.13). Também dizia ser “a luz”, vocábulo que traz a idéia de instrução. (PRICE, 1980, p. 16).

A terminologia empregada aos seus seguidores também ressalta a sua ênfase educacional.

A palavra “cristão” só é empregada três vezes em o Novo Testamento para caracterizá-los e assim mesmo uma vez como zombaria (At 11.26). No entanto, vemos a palavra “discípulo”, que significa aluno ou aprendiz, empregada 243 vezes, para referir-se aos seguidores de Jesus (PRICE, 1980, p. 16).

Jesus preparou um grupo de mestres para que levassem avante a sua obra.

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”.Mateus 28.19-20.

Percebe-se que o tema central da pregação e da vida de Jesus foi o Reino de Deus. “E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades” (Mt 9.35).
Somente nos evangelhos encontra-se mais de 80 menções ao Reino de Deus nos ensinos de Jesus. A expressão “Reino de Deus” é citada apenas duas vezes no evangelho de João. No entanto, é mencionada 14 vezes no evangelho de Marcos e, 31 vezes no evangelho de Lucas. Mateus faz 3 menções, preferindo, em vez dela, a expressão Reino dos Céus, da qual faz uso 30 vezes. Entretanto, a palavra Céu (s) é empregada em Mateus como um sinônimo reverente para Deus.

Portanto, o Reino foi a ênfase de sua pregação, ensino e missão. “[...] É necessário que eu anuncie o evangelho do Reino de Deus [...] pois para isso fui enviado” Lc 4.43.

Ao convocar os discípulos Jesus os enviou para pregar o Reino de Deus (Lc 9.2). Durante os 40 dias após a sua ressurreição, Lucas relata que Jesus falou das coisas concernentes ao Reino de Deus aos apóstolos (At 1.3). Em resposta obediente ao ensino de Jesus, foi este o conteúdo do ensino dos primeiros cristãos (ver At 8.2; 14.22; 19.8; 20.25). Lucas encerra o livro de Atos, afirmando que Paulo permaneceu em sua própria casa que alugara, pregando e ensinando o Reino de Deus com toda a intrepidez (At 28.23,31).

Enfim, a didaskalia(1) , sendo ministério de ensino, propicia ao ser humano desenvolvimento, crescimento e conseqüentemente pode conduzir ao Reino de Deus. O propósito da Igreja de Cristo deve estar voltado, assim, a uma pedagogia que direcione as pessoas para o Reino de Deus e Cristo como Senhor e Salvador.

____________________________________

(1) Segundo Thomas Groome, Didaskaloi era um ministério eclesiástico na igreja primitiva (At 13.1; 1 Co 12.28-29; Ef 4.11) que consistia tanto em conhecer a sã doutrina (2Tm 4.3) como em ensiná-la. Neste sentido, os didaskaloi eram a um tempo teólogos e educadores.

____________________________________

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GROOME, Thomas H. Educação Religiosa Cristã. Trad. Alcione Soares Ferreira, São Paulo: Edições Paulinas, 1985.
PRICE, J. M. A Pedagogia de Jesus. Trad. de Waldemar W. Wey, Rio de Janeiro: JUERP, 1980.
REMBRANDT. The Return of the Prodigal Son. ca 1668/69. Oil on canvas. The Hermitage, St. Petersburg, Russia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário