SEGUIDORES

OBRIGADA POR SEGUIREM ESTE BLOG

domingo, 26 de fevereiro de 2012

SANTOS, SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS

SANTOS, SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS


O maior desafio que temos na vida cristã não é o de nos tornarmos “santos”, mas sim de sermos transformados em pessoas autênticas, originais, segundo o padrão exigido por Jesus.





INTRODUÇÃO:


Antes de dizer qualquer outra coisa, gostaria de salientar que um grande avivamento só começa quando passamos a conhecer, na medida certa, o que significa ser “santo”, “santidade”, “santificação” à luz do Novo Testamento. Temos problemas sérios com os avivamentos porque geralmente eles desembocam num movimento de santidade. E aí por desconhecermos biblicamente esta questão terminamos por cometer as piores sandices. A razão fundamental por que eu estou falando isso é que precisamos, desesperadamente, aprender o que Jesus nos ensinou acerca da “santidade” e da “santificação”.

É pensando – com todo cuidado, é lógico – em ajudar pessoas que estão literalmente prisioneiras dos seus desejos e concepções que ponho esta reflexão diante dos irmãos e irmãs.



I – SANTIDADE E SANTIFICAÇÃO



Uma e outra palavra devem ser reestudadas por nós. Primeiramente, porque foram muito mal interpretadas. Em segundo lugar, sua idéia comprometida acabou por construir na mente das pessoas um biotipo comportamental.

A. Analisando a expressão santidade. Qualidade de quem é santo. Deus é santo no sentido de ser O Diferente, O Separado. Algo ou alguém que é «hagios» (no gr. a(gioj) é diferente ou separado no sentido de ser distinto das outras coisas e das coisas comuns.  De maneira que este termo, «hagiazein», contém duas ideias:

     1. Significa separar para uma tarefa especial. Quando Deus chamou Jeremias disse: «... e, antes que nascesse, te santifiquei, te dei por profeta às nações» (Jr 1.5). Os filhos de Arão foram «santificados» (separados dos demais) para que servissem o sacerdócio (Ex 28.41).

     2. Mas «hagiazein» não significa somente separar para uma tarefa especial. Também implica em equipar alguém com as qualidades de mente, coração e caráter que resultam necessárias para levar a cabo essa tarefa. Se alguém é separado para servir a Deus deve ter uma medida de bondade e sabedoria de Deus. Quem quer servir a um Deus santo deve ser santo também. A expressão está ligada quase que estritamente ao atributo moral de Deus.

B. Analisando a expressão santificação. Deus nos declara primeiramente justificado e concomitantemente nos torna participantes da sua santidade. Significa, então, que nós somos santos por uma questão de participação e não de «consagração expiatória».

C. Isto quer dizer que santos, não por méritos alcançados, mas pelo fato de Deus nos tornar participantes da sua Santidade. A linguagem paulina impõe esta ideia, quando ele usa a expressão «aos santos» repetidas vezes nas suas epístolas. O verbo que o apóstolo usa se encontra noparticípio perfeito passivo. Isto quer dizer que a voz do verbo é passiva, ou seja, não é o sujeito que pratica a ação, mas o sujeito sofre a ação. Conclusão: não somos nós que nos santificamos; Deus, sim, nos faz parte da sua santidade.

D. Ora, convenhamos, se a santificação serve para dar às pessoas um sentido incomum de vida e serve também para equipar uma pessoa com valores de mente, de coração e caráter, nós estamos muito distantes desta realidade.


II – SA NTIFICADOS NA VERDADE



A. Ninguém pode se santificar por conta própria, ou seja, a partir dos seus próprios conceitos, ideias. Deus nos torna participantes da Sua santidade.



B. Tipos de santificação:

    1. Santificação compensatória. Aquela em que a pessoa, por conta própria, procura compensar todos os seus erros, trocando com Deus um pouco do seu tempo pelas bênçãos divinas.

      2. Santificação expiatória. Nossas consagrações – no sentido mais objetivo da palavra – mais parecem expiações pelos pecados do que um ato, pura e simplesmente, de dedicação a Deus.

    3. Santificação compulsória. É compulsória porque a pessoa faz por obrigação e não pelo prazer de estar na presença de Deus.

    4. Santificação emulatória. As pessoas fazem para compe- tirem com outras. Ou, na melhor das hipóteses, fazem induzidas por aqueles que estão fazendo com sucesso. Fazem para competir.

     5. Santificação autoritária. As pessoas que fazem esse tipo de santificação pensam que são mais do que as outras. Ou seja: só se santificam para provar sua ascensão sobre as demais.

C. Ninguém consegue ser santo por conta própria. Os que tentam sozinhos só conseguem é aflição de espírito.



D. Outros tipos de santificação:

     1. Santificação eventual. É aquela que acontece eventual- mente na vida da pessoa. De mês em mês há uma recaída e uma santificação.

     2. Santificação conveniente. A mais das vezes temos pessoas se santificando por razões eminentemente convenientes. Querem de Deus alguma coisa e por isso se santificam.

    3. Santificação à procura do poder. É aquele tipo de santificação que as pessoas comumente fazem para obter o poder de Deus.

    4. Santificação do jejum. De quando em quando nos deparamos com aqueles que vivem jejuando, mas fazendo do jejum um meio para obter de Deus alguma coisa.

E. O jugo que algumas pessoas carregam é muito maior do que elas podem suportar. É o jugo de uma consciência doente e inquieta na presença de Deus. O jejum deve ser o resultado por estarmos na presença de Deus e não a causa de entrarmos na presença de Deus.

F. A santificação deve ser consentânea com a Palavra de Deus e não algo da nossa cabeça.



III – O QUE JESUS QUERIA DIZER COM A PALAVRA SANTO



O que precisa ficar bem claro a você, leitor, é o real sentido da palavra “santo” para Jesus. Até porque Jesus é o nosso paradigma, o nosso modelo, nosso arquétipo, nosso referencial maior.

. Ser santo para Jesus é buscar ser essencialmente humano, ser parte da história, porém vivendo a presença de Deus no mundo.

. Ser santo para Jesus tem relação com a busca de uma sociedade sem desi­­gualdades e onde os mais fracos jamais sejam despojados.

. Ser santo para Jesus é viver a alegria do conhecimento de Deus com oração e fé e é sofrer as angústias da história como resultado dos nossos vín­­culos com um padrão que o mundo não conhece.

. Ser santo para Jesus é ser separado, não dos pagãos, como Israel equivocadamente tentou, mas é viver a diferença radical dos valo­­res do Reino de Deus em meio às sociedades pagãs.

. Ser santo para Jesus é ter na paixão dos profetas a motivação existencial para o nosso enfrentamento histórico do mal.

. Ser santo para Jesus é, mesmo em dia de sábado, trabalhar a favor da santi­­dade de vida.

. Ser santo para Jesus é colocar o valor da vida acima do valor das coisas, mesmo aquelas mais «sagradas» (entre aspas).

. Ser santo para Jesus é entender que o altar diante do qual Deus nos quer ver prostrados não é apenas o altar do templo, mas também os altares ensanguentados dos corpos dos nossos irmãos de história e que estão caídos nas esquinas da vida.

. Ser santo para Jesus é viver a misericórdia no agitado ambiente secular, em vez de viver a quietude alienada do ambiente religioso que não tem janelas para a história da dor humana.

. Ser santo para Jesus é acreditar que a santidade não se polui quando toca com amor aquilo que é sujo.

. Ser santo para Jesus é não temer ser mal interpretado pela mente daqueles que estão sujos de pretensa santidade.

. Ser santo para Jesus é ser autêntico, original, sincero e não viver de hipocrisia.



. Para Jesus ser santo é ser verdadeiro para com a nossa condição humana: é ter coragem de chorar em público; de admitir perdas e saudades; de gritar de dor; de confessar depressão; de pedir ajuda emocional; de se confessar cansado; de dizer tenho sede; de confessar que a privacidade é um direito e uma necessidade de sobrevivência.

. Ser santo para Jesus é continuar sendo de Deus mesmo em meio ao mais profundo e implacável silêncio divino.



CONCLUSÃO:



Portanto, não santificamos a Deus com a nossa noção de sermos secretários de Deus, achando que sabemos tudo sobre Ele, achan­­do que discernimos toda a sua vontade, como se tivéssemos todas as manhãs uma entrevista marcada com Ele, na qual nos mostrasse detalhadamente todos os caminhos da vida. Não santificamos a Deus quando todo o nosso interesse em rela­­ção a Ele é sermos «ajudados». Ofendemos a Deus não somente pela negação do seu poder, mas também pela súplica egocêntrica, egoísta.

Não se santifica a Deus estabelecendo um lugar para Ele morar, caindo nas teologias pagãs do «lugar santo».

Finalmente – e isso é muito importante dizer – não sejamos santos pelo orgulho de sermos diferentes. Não sejamos santos por um dia e nos outros nos tornemos pessoas insensíveis. Sejamos santos segundo a medida que nos ensinou Jesus através da sua vida e história. 

Um comentário:

  1. Amigo.. você precisa ter experiências com Deus através de santificação e Jejum.. então entenderá quanta besteira escreveu.. nada que disse até ai tem base Bíblia apenas sua opinião.. ou achologia...
    Interessante lembrar que a um aviso dizendo que sem santidade ninguém verá o Senhor.. então eu penso pra que existe essa passagem se eu já seu como vc disse SANTO e nada preciso fazer.. pois eu verei o Senhor .
    Mais interessante é ver Jesus dizendo que Somente com MUITO jejum e oração expulsaremos alguns tipos de demônios ou catsas... bem se já sou Santo e já participo da Santidade de Deus como vc disse Jesus cometeu um erro pois nada mudará em mim através do jejum, não serei mais consagrado nem mais santo .. nada adianta pelo que vc escreveu ...
    Assim como os milagres, sinais curas que acontecem através das vidas das pessoas que vivem em consagração também são tudo mentira. e um grande engano....
    Os fatos durante os 2 mil anos que conhecemos de alguns poucos que escolheram jejuar e orar interminentemente e foram tremendamente usados por Deus também simplesmente conforme sua sabedoria. acabaram de viram contos de fada....

    Amigo você precisa procurar uma igreja que jejua e ora sentar no BANCO e pedir a Deus uma experiência sobrenatural para que vc se converta ...
    Espero realmente que vc encontre a verdade JESUS e saia desse terrível engano

    ResponderExcluir